Serviços

SERVIÇOS

 

Descontos em serviços de Resumos de blocos de NFP;

Descontos em serviços de Folhas de Pagamento;

Descontos em planos de saúde;

Cartão de descontos em serviços de saúde;

Descontos em passagens da empresa Planalto Transportes (15%);

Realização de Feiras e Remates com comissões acessíveis para sócios;

Oferece mais de 150 cursos e programas gratuitos através do SENAR;

Descontos em aluguéis de Espaço para eventos (Sede e Parque);

Auditório para palestras;

Consultas SERASA;

Sala para reuniões;

 

QUEM PODE SE ASSOCIAR?

 

PRODUTORES RURAIS contribuintes do Sistema Sindical, ou seja, com mais de 2 módulos fiscais ou empregadores.

O fato de ser contribuinte do Sistema Sindical não faz do PRODUTOR RURAL um sócio do Sindicato Rural, para se tornar sócio é necessário ter interesse em se associar, e principalmente participar das atividades, propor demandas e auxiliar na realização das ações.

 

COMO SE ASSOCIAR:

 

Para se associar o PRODUTOR RURAL deverá preencher uma ficha, trazer cópias do RG, CPF, CCIR e da última Contribuição Sindical.

Se o produtor possuir propriedade na base do Sindicato Rural não há custos para ser sócio, enquanto valer a obrigatoriedade da Contribuição Sindical. Caso a propriedade esteja localizada em outro município, deverá pagar uma anuidade.

 

O SINDICATO NÃO FAZ OU O PRODUTOR QUE NÃO PARTICIPA?

 

São diversos os tem

 

as que impactam diretamente o setor agropecuário. Sem a atuação dos Sindicatos Rurais, que são formados por PRODUTORES RURAIS, através da eleição de uma diretoria, que tem por missão realizar a gestão e executar as ações, e pelos demais produtores, através da sugestão de demandas e do apoio nas mobilizações e ações propostas, não é possível construir soluções. Se esta representação não for atuante, os PRODUTORES RURAIS restarão passivos e sem defesa ante imposições injustas e muitas vezes descabidas, perpetradas por organizações, ou pelo próprio poder público, que não aceitam seus princípios: da propriedade privada e da atividade sob bases de livre iniciativa.

 

QUESTÕES POLÍTICAS E NEGOCIAÇÕES

 

Preserva e promove os interesses da atividade agropecuária, citando como exemplos:

1 – Promove ações por uma Contribuição Previdenciária Patronal (FUNRURAL) justa, equilibrada e com segurança jurídica;

2 – Realiza mediação em relação a atribuição do Valor da Terra Nua – VTN, de modo a minimizar o impacto no valor do ITR e CNA;

3 – Organizou mobilizaçõe

 

s contra o Emplacamento de Máquinas Agrícolas, e permanece atento para que o mesmo não seja implementado, gerando custos e burocracia para o produtor;

4 – Lutou e continua lutando contra a cobrança de Royalties na Moega;

5 – Prima pela desburocratização e simplificação da legislação ambiental, de modo a aproximá-la da realidade rural;

6 – Controla e intervém quando da conservação das estradas estaduais e municipais;

7 – Defende a propriedade rural como direito inalienável, requerendo quando cabível providências legais às Autoridades Públicas;

8 – Realiza anualmente a negociação do Dissídio Coletivo, onde é definido o salário rural e as obrigações do empregador para com os empregados;

9 – Atua diretamente com a Brigada Militar e a Polícia Civil no combate ao Abigeato;

10 – Ressalta a importância do Homem do Campo, sua imagem, seus bons exemplos e sua condição de produtor de alimentos para a Segurança da Nação e da Humanidade, além de gerador de trabalho e renda;

11- Defende o Prod

utor Rural em todas as demandas judiciais coletivas, podendo impetrar mandado de segurança em defesa dos seus interesses;

12 – Defende a redução de impostos e é contrário a qualquer novo mecanismo de tributação do setor agropecuário.

CONTAÇÕES